PÁGINA INICIAL DICIONÁRIO          LITERATURA                 QUEM SOMOS              FALE CONOSCO                    100 ERROS               SIMULADOS

 

A Redação no vestibular ou nos concursos públicos é uma forma de avaliar sua capacidade de reflexão, de crítica e de argumentação sobre determinado assunto.
O texto, sendo ele uma narração, dissertação, descrição, carta ou outro estilo qualquer, precisa manter a coerência e a coesão em seu desenvolvimento, e ao mesmo
tempo, convencer e persuadir o leitor.

TIPOS DE COMPOSIÇÃO

Descrição
É o tipo de redação na qual se apontam as características que compõem um determinado objeto, pessoa, ambiente ou paisagem.

Narração
É a modalidade de redação na qual contamos um ou mais fatos que ocorreram em determinado tempo e lugar, envolvendo certos personagens.

Dissertação
É o tipo de composição na qual expomos ideias gerais, seguidas da apresentação de argumentos que as comprovem.

A DESCRIÇÃO

      a representação verbal de um objeto sensível (ser, coisa, paisagem), através da Indicação dos seus aspectos mais característicos,
dos pormenores que o individualizam, que o distinguem.

                                                                                                                                           (Othon Moacyr Garcia)

É a tentativa de se retratar um objeto externo ao ser que o descreve após ter havido a percepção de seus detalhes através dos sentidos.
O ponto de vista de quem descreve pode ser físico ou mental, tomando a descrição objetiva ou subjetiva.

A descrição pode ser de:

a)   Tipos;
b)    paisagem;

c)    ambiente;

d)    personagem;

e)    fenômeno.

  ARQUITETURA DA DESCRIÇÃO

Para planejarmos uma descrição, devemos observar aspectos como:

• desenvolvimento do esquema em parágrafos;
• seleção das imagens mais importantes;
• seleção dos detalhes;
• organização de partes e pormenores.

          A matéria principal da descrição é o objeto; há, então, a predominância do nome. O núcleo de um parágrafo descritivo deve conter
o
desenvolvimento claro de cenas ou quadros, dai a sua aproximação com a pintura e a fotografia.

Há diversos tipos de descrição:

a) estática (seres, coisas sem movimento);
b
) dinâmica (seres, coisas em movimento);
c)
objetiva (sem impressões pessoais);
d)
subjetiva (com impressões pessoais do autor);
e)
de pessoas (retratos, quadros, cenas);
f
) imaginária (monstros, vampiros, fadas);
g) intelectiva (algo abstrato, como por exemplo: a sinceridade).


É um tipo de descrição, conhecida também por sinestésica, que se apoia nas sensações. A descrição sensorial torna o texto
mais rico, forte, poético; faz com que o leitor interaja com o narrador e com a personagem.

As sensações são:

Visuais
: relacionadas à cor, forma, dimensões, etc.

“Era um olho amendoado, grande, dum azul celestial, de traços suaves...”


Auditivas: relacionadas ao som.

O silêncio tornara-se assustador, o zumbido do vento fazia chorar as janelas...”

Gustativas: relacionadas ao gosto, paladar.

“Tua despedida amarga, o sorrido irônico, insosso; deixaram-me angustiado.”

Olfativas: relacionadas ao cheiro.

O cheiro de terra trazido pelo vento úmido era prenúncio de chuva.”

Táteis: relacionadas ao tato, contato da pele.

“As mãos ásperas como casca de árvore, grossas, ríspidas, secas como pedra.”

 
CONTINUAÇÃO DA DESCRIÇÃO
             NARRAÇÃO              DISSERTAÇÃO